Manaus, 25 de Novembro de 2020
Call Center: 0800-0922626 / (92) 2121-6490

Data Center PRODAM

Alta disponibilidade e segurança dos dados

Data Center

Sistemas de informação

Desenvolvimento de soluções em software sob medida

Sistemas de Informação

Serviço de Infraestrutura

Projetos de redes elétricas e lógicas

Serviços de Infraestrutura

Serviços de Rede

Serviços especializados de rede

Serviços de Rede

Assistência Técnica

Suporte e assistência técnica

Assistência Técnica

Certificado Digital

Prodam Certificado Digital

Certificado Digital

Aplicativo que ajuda no combate ao mosquito Aedes aegypti vence primeira edição da Hackathon PRODAM

USAR ESTAO game “Pega Mosquito” foi o vencedor da primeira edição do Hackathon PRODAM, realizado neste final de semana. O evento, promovido pelo Governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEPLANCTI) e a empresa Processamento de Dados Amazonas S.A. (PRODAM), reuniu 30 profissionais apaixonados por tecnologia que aceitaram o desafio de desenvolverem em 24h um aplicativo mobile nas áreas de Trânsito, Saúde e Transparência.

Desenvolvido pelos programadores Caio Flávio de Souza, Juliane dos Santos Silva e o web designer Leandro Mery, o “Pega Mosquito” funciona como um game interativo no qual o usuário cumpre tarefas para combater o criadouro do mosquito e ainda compartilha o resultado nas redes sociais, gerando engajamento na luta contra o Aedes aegypti. O aplicativo  reforça a campanha ‘10 Minutos contra a Dengue’ e estimula a população a reservar um tempo, semanalmente, para os cuidados preventivos, no ambiente doméstico e de trabalho, para eliminação de possíveis criadouros do mosquito transmissor da dengue, febre chikungunya e zika vírus.

O segundo lugar também foi desenvolvido  para combater o mosquito  Aedes aegypti. Batizado de “Ganhe da Zica”, o aplicativo possibilita recompensar, financeiramente, usuários que concluírem missões para acabar com os criadouros do mosquitos. A cada missão concluída, o usuário ganharia pontos que poderiam ser ser transformados em descontos em impostos como IPTU e IPVA.

Já o terceiro lugar ficou com o aplicativo “Direção Eletrônica”, pensado para substituir os atuais formulários de papéis utilizados pelos examinadores da prova de prática de direção. Além disso, os erros cometidos durante o exame ficariam armazenados no aplicativo e seriam disponibilizados no site do DETRAN para consulta do candidato.  As soluções desenvolvidas pelos participantes passarão por estudos de viabilidade técnica e comercial e deverão  fazer parte do portfólio da PRODAM,

O titular da SEPLANCT, Thomaz Nogueira, escolhido para ser o presidente da comissão de jurados do Hackathon PRODAM, foi um dos responsável por avaliar todas as equipes e escolher os três projetos que mais se destacaram. “As soluções expostas buscam atender a demandas críticas e necessárias, além disso, foram apresentados projetos com potencial para serem implantados de forma rápida”, declarou o secretário, que completou parabenizando os competidores pelo esforço, iniciativa e participação.

Ele contou com a ajuda de outros sete jurados: o secretário executivo de Administração e Gestão, Luiz Alencar Neto, o subsecretário de Tecnologia da Informação da Prefeitura de Manaus, Eudo Assis Junior, o diretor de Tecnologia da Informação do Tribunal de Justiça do Amazonas, Jhonathas Menezes da Silva, a gerente de Sistemas e Informação da Secretaria de Estado de Saúde (SUSAM), Adriana Feitoza, a professora do Instituto de Computação da Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Rosiane Rodrigues, o superintendente de Tecnologia da Informação da Bemol, França Bandeira  e o superintendente Técnico Científico da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Eduardo Taveira.

Eduardo exaltou a qualidade técnica dos participantes. “Fiquei impressionado com a capacidade dos colaboradores da PRODAM de apresentarem propostas concretas para soluções do nosso dia a dia”, comentou.  Já a professora Rosiane Rodrigues destacou que mesmo em pouco tempo as equipes mostraram potencial. “São projetos originais, que podem e devem ser implantados”, afirmou a jurada.

//