Manaus, 19 de Novembro de 2017
Call Center: 0800-0922626 / (92) 2121-6490

PRODAM implanta novo módulo coletor de código de barras no sistema Ajuri

52O sistema de Gestão de Material e Patrimônio (Ajuri), desenvolvido pela PRODAM e utilizado por diversos órgãos do governo, ganhou uma nova funcionalidade que vai permitir a otimização do gerenciamento de bens patrimoniais e redução de custos. O novo módulo coletor de código de barras já foi implantado no Tribunal de Contas do Estado (TCE/AM) e deve dar mais celeridade à gestão patrimonial. Um inventário de bens que pode durar semanas, por exemplo, com o código de barras vai levar apenas algumas horas.

De acordo com o analista de negócios Donizete Ramos, que atende ao cliente TCE, anteriormente o controle era feito de forma manual, o que permitia a vulnerabilidade de possíveis erros no relatório final. Com a implantação dessa nova ferramenta, além da agilidade, o Ajuri informa quando há inconsistência na localização de bens.

“Anteriormente, os inventários de bens patrimoniais demoravam até um mês para serem concluídos, o levantamento tinha que ser feito manualmente em cada setor e após a localização dos bens era necessário ajustar dentro do sistema as inconsistências encontradas”, explicou o analista.

A nova ferramenta de catalogação de dados de código de barras utiliza um coletor óptico portátil, que faz a leitura das informações contidas no código de barras e transfere essas informações para o sistema Ajuri.

A Analista de TI, Valeriana Pinheiro, da Supervisão de Sistemas Administrativos (SPSAD), responsável pelo levantamento dos dados necessários para a análise e implantação do novo módulo, explica sobre a funcionalidade. “Com a colaboração da Divisão da Fabrica de Software, que desenvolveu a ferramenta, o funcionamento da nova funcionalidade se tornou mais simples. O coletor portátil possui uma base conectada ao computador, os dados coletados são transferidos para o sistema em tempo hábil”.

O módulo coletor de código de barras, por enquanto, está em funcionamento apenas no TCE/AM. Donizete Ramos ressalta que os órgãos do governo que utilizam o Ajuri e tenham interesse na nova funcionalidade, devem entrar em contato com a Divisão de Produtos e Negócios, para solicitação de proposta para cessão de uso deste serviço.