Manaus, 22 de Julho de 2017
Call Center: 0800-0922626 / (92) 2121-6490

SECTI-AM e PRODAM assinam acordo de cooperação com a Telebras

O Governo do Amazonas assinou um acordo de cooperação técnica com a Telebras, para integração de redes de fibra ótica no Estado. O acordo viabiliza a utilização da fibra ótica do gasoduto Coari-Manaus pelo governo estadual, que irá ampliar os serviços de internet banda larga para os sete municípios que ficam no traçado do gasoduto.

A ação faz parte do processo de implantação da Rede Estadual de Comunicação, que permite a transmissão de dados entre órgãos do Governo do Amazonas. O governo poderá, também, levar o Programa Amazonas Digital, que irá disponibilizar internet sem fio banda larga gratuita à população, nos municípios que estão sob a influência do gasoduto – Coari, Anamã, Anori, Codajás, Manacapuru, Iranduba e Caapiranga.

O trabalho de implantação da Rede Estadual de Comunicação no interior é uma ação coordenada pelas Secretarias de Estado de Ciência e Tecnologia e Inovação do Amazonas (SECTI/AM), de Planejamento (SEPLAN) e de Educação (SEDUC) e executada pela empresa Processamento de Dados do Amazonas (PRODAM), responsável pela Política de Tecnologia da Informação e Informática do Governo do Estado.

De acordo com o diretor presidente da PRODAM, Tiago Paiva, mais de 300 órgãos das esferas estadual, municipal e federal serão beneficiados com a implantação da rede. “A próxima etapa do processo de implantação é o lançamento das licitações públicas, que permitirão a aquisição dos equipamentos, para expansão da infraestrutura de comunicação”. A previsão é que essa fase do processo seja concluída, ainda neste ano. 

 O acordo com a Telebras está inserido, também, no âmbito do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), do Governo Federal. Neste sentido, o convênio também buscará o fornecimento de internet rápida para órgãos do governo federal locais, além de prover infraestrutura de telecomunicações para futuros eventos esportivos.

No campo da administração estadual, a proposta é que os órgãos governamentais estejam interligados por meio desta infraestrutura de comunicação convergente, capaz de transportar simultaneamente dados, imagens e voz. A Rede Estadual de Comunicação, entre outros benefícios, possibilita o desenvolvimento de projetos que necessitem de alta capacidade de banda de comunicação, como videoconferência, telemedicina, ensino à distância e telefonia sobre IP (protocolo de comunicação da internet), graças à infraestrutura central básica de suporte. Segundo Tiago Paiva, com o aumento da velocidade de comunicação entre os órgãos há um ganho maior de eficiência e produtividade dos sistemas de gestão da administração pública.

Na avaliação do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas, Odenildo Sena, a ação é estratégica para o Estado e vai possibilitar a conexão de hospitais, escolas e postos de saúde, em especial do programa Telessaúde. “Imagine um médico da capital poder orientar à distância um enfermeiro durante uma emergência, pois está vendo o paciente, a situação e interagindo na hora. É o primeiro ‘pé’ da Telebras no Amazonas. Isso vai promover uma revolução no Estado”, comentou.

Em Manaus, o sistema de comunicação do Governo já interliga 80 órgãos, por meio do sistema de cabeamento de fibra ótica, que tem mais de 60 quilômetros de extensão. No interior, a previsão é que a Rede interligue mais de 300 órgãos e para isso, a rede passará a ter 600 quilômetros. Na capital a rede comporta o tráfego de dados de inúmeros departamentos de Governo, como o Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS) e da Delegacia Geral, que são alguns dos principais usuários do sistema. O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran/AM) e as secretarias de Estado de Saúde, Educação, da Fazenda e de Governo (Susam, Seduc, Sefaz e Segov) também adotaram a rede como sistema de comunicação interinstitucional.