Manaus, 27 de Abril de 2017
Call Center: 0800-0922626 / (92) 2121-6490

Governo do Amazonas irá implantar, em Iranduba, a primeira cidade digital do interior do Estado

O Governo do Amazonas irá transformar o município de Iranduba (distante 27 km da capital) em uma cidade digital. Trata-se de um grande projeto de infraestrutura tecnológica, que inclui a instalação de 35 quilômetros de fibra ótica, de Manaus até a sede do município, com o objetivo de ampliar a oferta de serviços públicos e o acesso à internet banda larga, com qualidade equivalente a dos grandes centros urbanos do país. O projeto receberá recursos de R$ 2,5 milhões, provenientes da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e do governo estadual, e terá início, já no primeiro trimestre de 2012. Atualmente, apenas Manaus dos 62 municípios do Estado, dispõe de uma rede de fibra ótica.

A ação é coordenada pela secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (SECTAM) em parceria com a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e será realizada pela empresa Processamento de Dados S/A (Prodam), órgão do governo estadual, que ficará responsável pelo processo de instalação da fibra ótica e dos demais equipamentos tecnológicos, entre Manaus e Iranduba. “Por meio do projeto, a população terá acesso à internet sem fio, com capacidade de 10 megabits, o que representa uma revolução tecnológica para o Estado”, ressaltou o diretor presidente da Prodam, Tiago Paiva.

O secretário de C&T do Amazonas, Odenildo Sena, contabiliza que serão favorecidas instituições federais (8), estaduais (18) e municipais (24) que somam 50 órgãos instalados em Iranduba, o que beneficiará mais de 40 mil pessoas. “Na Administração Pública a fibra ótica possibilitará, por exemplo, a integração de entidades públicas, permitindo a descentralização administrativa, maior presença do Estado, inclusão digital e social das populações; acesso imediato às informações e serviços; instalação de telecentros”, descreve o secretário da SECTAM, Odenildo Sena.

Na área de educação os ganhos também são expressivos: integração das escolas a outras instituições de pesquisa e ensino; laboratórios de informática com acesso a Internet; acesso a bases de dados on-line (livros, documentários, artigos, etc); capacitação dos professores; ensino a distância (e-learning); oficinas e capacitação técnica dos alunos.

Na mesma proporção, também deverão ocorrer a gestão integrada dos centros de assistência à saúde e o uso de novas tecnologias, tais como: videoconferência; telemedicina; prontuário on-line; agendamento de consultas on-line; controle de estoque de medicamentos.

Também o sinal de internet wireless (sem fio) ficará disponível nas praças públicas, onde o usuário poderá navegar na web, utilizando equipamentos portáteis – laptops, celulares, tablets, entre outros.

O projeto foi aprovado pela Sudam, na seleção pública nº 02 de agosto de 2011, que tratou de propostas para as áreas de pesquisa, desenvolvimento e tecnologia nos Estados da Amazônia Legal. Pelo convênio, a Sudam irá liberar o valor de R$ 2,5 milhões, dos quais R$ 500 mil são contrapartida do Estado, através da Seduc, que também irá ampliar a infraestrutura de rede, na área de educação do município de Iranduba. A previsão é que todas as fases de implantação sejam concluídas até o fim de 2013. A Prefeitura de Iranduba passará a integrar, ainda, a rede Rede Metropolitana de Comunicação de Dados (Metromao).

Rede Estadual de Comunicação

O diretor da Prodam também destaca que, a partir da iniciativa, o Governo do Amazonas dará o primeiro passo da implantação da Rede Estadual de Comunicação, um dos maiores projetos do Estado, na área de telecomunicação. Paiva explica que a rede interligará, inicialmente, Manaus, Iranduba, Coari, Codajas, Anori, Anamã e Caapiranga, por meio da cessão de infraestrutura de fibra ótica da Petrobras. “A proposta é fazer a interligação de órgãos dos governos municipal, estadual e federal, a fim de propiciar o aumento da eficiência administrativa e a implementação de serviços públicos eletrônicos, além das ações de inclusão digital”, frisou. A Rede Estadual de Comunicação pretende incluir outras redes de fibra ótica (OI, Embratel e Linhão de Tucuruí). Juntas essas redes conectam 40 municípios do Amazonas.

Três Comunicações